terça-feira, 11 de março de 2014

dos Comentários (5) - Camafeus e Nanotecnologia Romana e Ptolomaica

Num comentário recente, o José Manuel fez referência à Taça de Licurgo:
Vão escapando sempre uns gatos com o rabo de fora dos caixotes dos ditos: 
«Il y a 1600 ans, les Romains utilisaient déjà des nanotechnologies ...»
E 100 vezes mais evoluídas que as actuais... para quem duvide que a humanidade já foi 100 vezes mais avançada e regrediu! Não ficam dúvidas, e exemplos destes há-os às centenas... por isso - às urtigas os escritos feitos pelos iletrados que sobreviveram!
http://www.maxisciences.com/nanotechnologie/il-y-a-1600-ans-les-romains-utilisaient-deja-des-nanotechnologies_art32108.html

 
A mesma taça apresenta cor vermelha translúcida quando iluminada pela retaguarda 
... e cor verde opaca (tipo jade) quando iluminada de frente.
A explicação de tal propriedade no vidro só é feita no quadro das nanotecnologias!

A data de produção apontada para a Taça de Licurgo é o Séc. IV, e poderá até ter servido Constantino.
A explicação para o efeito conseguido reside numa pequena mistura coloidal de ouro e prata no vidro... mas de que forma? 
De forma tão sublime que algo semelhante não voltou a ser produzido até aos anos 1960. 

Nessa altura, a NASA tomou a cargo produzir filtros dicróicos (ou seja, filtros com uma cor transmitida e outra reflectida). 
Basicamente tentou fazer crer que se tratou de invenção própria, conforme se pode ler num relatório:
«Dichroic glass, developed in the 1950s and 1960s by NASA, the Department of Defense and their contractors, is a technology wherein extremely thin films of metal vacuum deposited on a glass surface»
O artigo está arquivado na NASA:

O facto de existir esta indústria no tempo dos romanos, de existir esta taça (que foi pertença da família Rothschild), e de haver registo de vidro semelhante produzido em Veneza durante a época medieval ou posterior, tudo isso parece ser remetido para inexistência.
Aliás, como bons amantes do sarcasmo, o artigo apresenta os produtores em Venice... Los Angeles.
Só faltaria o bairro de Venice em LA chamar-se Murano... 

Este tipo de vidrinhos coloridos fez as delícias de muito ambiente psicadélico dos anos 60, e poderíamos voltar de novo ao tema das "especiarias e drogarias"...
Dentro desse ambiente artístico meio perturbado, não é de deixar de referir o filme de Werner Herzog:

Este tipo de conexões seria mais matéria para o blog Odemaia onde referimos a Gruta de Chauvet, que foi tema do filme "Cave of Forgotten Dreams" de Werner Herzog, porque neste ponto apetece-nos simplesmente ouvir o velhinho tema "Heart of Glass" de Blondie:
... lembrando que já não se fazem letras assim:  Once I had a love and it was gas, Soon turned out, it was a pain in the ass...

No entanto, o tema do filme "Heart of Glass" procurava ir um pouco mais longe, e remete para o segredo da produção de vidro com um brilhante vermelho rubi, perdido num produtor da Bavaria do Séc. XVIII. Na senda do experimentalismo psicadélico, Werner Herzog parece ter feito os actores representar sob hipnose.

Bom, mas deixemos o tema modernaço, que dificilmente se justifica neste blog, mas que também me parece indissociável deste post, ao remeter para essa procura de imitar a subtil produção vidreira, algo remetida a segredos artesãos, com ou sem confrarias a apadrinhar.

A redescoberta da produção de vidro com tom púrpuro, ou vermelho rubi, acabou por ser dada a Johann Kunckel (final do Séc. XVII), e a figura de Cassius (ver Púrpura de Cassius) pode ter inspirado a parte histórica do filme (ainda que o nome Cassius remeta ele próprio a personagens romanos):
Vidro Rubi da Bavaria - Munique (Cranberry glass)

Neste caso, bem entendido, o vidro rubi já era por si notável, por usar uma mistura coloidal de ouro, mas não conseguia o efeito dicróico visto na Taça de Licurgo. Essa taça sim, representaria um autêntico Graal como desafio à manufactura vidreira.

Camafeus
Podíamos ficar por aqui... mas o problema é que o uso do vidro foi levado a pontos de execução verdadeiramente notável pelos romanos, e exemplo disso é o chamado Vaso de Portland:

O mais notável no vaso de Portland é tratar-se de trabalho em finas camadas de vidro, com um efeito de camafeu, normalmente visto em pequenos adornos, como é o caso do Camafeu Blacas, que representa a figura do Imperador Augusto:
Camafeu Blacas (Augusto, 20 a 50 d.C.)
(ver também Tesouro Esquilino)

Bom, e a questão que nos remete a peças com um detalhe artístico tão singular, que questiona o desenvolvimento técnico à época dos romanos, não tem apenas origem romana.

Com efeito, é possível ver que em Alexandria já se produziam camafeus com uma beleza de pormenor igualmente notável... ou talvez até mais notáveis, como é o caso da Taça Farnese:

A situação remonta mesmo a tempos anteriores, ao início da dinastia Ptolomaica no Egipto, após a conquista de Alexandre Magno, conforme é bem visível na Taça dos Ptolomeus, que após 2300 anos parece emitir o mesmo assombro na sua beleza surpreendente:

Haveria certamente muitos detalhes a referir... nomeadamente sobre a representação de Licurgo na taça que motivou o comentário do José Manuel, e por consequência este post. A representação de Licurgo alude à sua morte por mando do deus Dionísio, ou melhor, pelo correspondente Baco romano... e certamente seria um motivo para a encher de bom vinho, nalguma festa em honra a Baco, normalmente designadas por Bacanais. 

Ora se falámos das festas Lemurias... e para percebermos o termo "Lamúrias", quando nos queixamos do trabalho (alternativamente pode ser usada a expressão "Piegas"), convém lembrar a lista das festividades romanas  que basicamente reduziam o ano civil a 155 dias de trabalho efectivo.
Assim, quando por altura da Revolução Industrial os camponeses passaram a operários urbanos, não poderiam deixar de achar estranho nem lhes ser concedido o dia 1º de Maio, algo que se perdia nos tempos imemoriais, como último dia de sagrado descanso. 
Claro que se entende que os Bacanais de uns exijam Lamúrias dos outros... mas o desequilíbrio é sempre um estado temporário, só mais permanente em mentes desequilibradas.

Notas Adicionais 
(1) - Aço de Damasco (12/03/2014):
Num comentário inserido neste post (de P. Cruz), foi-nos dada a informação sobre o Aço de Damasco, cujas origens podem remontar ao tempo da chegada de Alexandre Magno à India.
Trata-se de um tipo de aço particularmente resistente e flexível, revelando em 2006 algo surpreendente, que nos remete de novo às nanotecnologias, citando a Wikipedia:
 A research team in Germany published(*) a report in 2006 revealing nanowires and carbon nanotubes in a blade forged from Damascus steel. This finding was covered by National Geographic and the New York Times. Although certain types of modern steel outperform these swords, chemical reactions in the production process made the blades extraordinary for their time, as damascus steel was superplastic and very hard at the same time.
(*)    Reibold, M. et al. (2006) "Materials: Carbon nanotubes in an ancient Damascus sabre". Nature 444.

(2) - Azul Maia (12/03/2014):
Ainda no mesmo comentário refere-se o pigmento chamado "azul maia", feito artificialmente como o azul egípcio ou o azul chinês. São casos de investigação na pigmentação durável, responsável por legados ainda hoje bem visíveis, remontando ao uso do vermelho-ocre em pinturas rupestres. 
O azul maia tem propriedades de durabilidade mais notáveis por não ser facilmente degradável, resistindo mesmo a ácidos:
Despite time and the harsh weathering conditions, paintings colored by Maya Blue have not faded over time. What is even more remarkable is that the color has resisted chemical solvents and acids such as nitric acid. Recently, its resistance against chemical aggression (acids, alkalis, solvents, etc.) and biodegradation was tested, and it was shown that Maya blue is an extremely resistant pigment, but it can be destroyed using very intense acid treatment under reflux [da Wikipedia]
A receita do composto parece ter sido apenas redescoberta em 1993, assentando numa mistura de anil, indigo, com uma forma de barro - paligorsquite - que também pode ser ingerida com funções medicinais...

42 comentários:

  1. Carbon nanotechnology in an 17th century Damascus sword

    http://phenomena.nationalgeographic.com/2008/09/27/carbon-nanotechnology-in-an-17th-century-damascus-sword/

    Maya Blue

    http://archaeology.about.com/od/artandartifacts/qt/maya_blue.htm

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, vou incluir esses exemplos como nota adicional.

      Eliminar
  2. Olá,

    Se soubesse que o Alvor iria utilizar o meu gato de rabo de fora teria tentado outra linguagem mais douta para sugerir as partículas dos plasmas das Tv’s utilizadas nas taças antigas (serão mesmo isso?) o Robert Charroux no seu “O Livro dos Mundos Esquecidos” (ou noutra das suas obras) diz o autor num dos capítulos “Antepassados superiores”: fala em aço e platina trabalhados antes da sua “descoberta” oficial (etc.) pois eu sou do tempo em que não havia a www com os seus YouTube, éramos uma minoria de “malucos” que se divulgássemos estas “teorias da conspiração” estávamos a auto excluir da sociedade e até poderíamos morrer de fome, sim é real, difícil de saber e não poder contar pois ninguém quer escutar, este “gato de rabo de fora” é o Santo Graal, para mim o que procuram é beber a sabedoria legada nos cristais que as contêm, ao serem devidamente excitado as suas nanopartículas mostrarão a enciclopédia da superior civilização desaparecida, mas somente a quem alcançar o seu nível de conhecimento, infelizmente o nosso é ainda muito animal para tal, por isso continuamos a olhar para os plasmas do passado (TV’s) sem sabermos para o que servem, pois não temos ainda a corrente adequada para os fazer funcionar...

    Parabéns pela sua prosa e complemento de informação neste seu post sobre os vidros, só escaparam porque não sabem o que lá está dentro, provavelmente.

    Boas leituras, cumprimentos, José Manuel CH-GE

    P. S.
    Significado de Camafeu in Priberam dicionário: Pedra fina com duas camadas, diferentes na cor, uma das quais leva gravado um desenho em relevo.
    Eu diria que leva gravada outra coisa em relevo, mas seria um longo filme em holograma... o establishment dirá; “cambada de camafeus d’ideia michuruca a encher o saco!”
    Sinceramente sempre usei a palavra camafeu para denominar uma pessoa sinistra, mas desconheço a sua origem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado, José Manuel.
      Meu caro, com um passe destes como era possível eu não rematar ao "post"?
      Agora, se entrou, ou se estamos fora de jogo... pois isso já me escapa, e não me importa muito, porque o campeonato que me interessa é aquele em que a taça é o "tá-se" bem consigo mesmo e com o universo restante. Nesse restante a soma de mentes não mente nem é demente.

      Sobre a linguagem... pode ter a certeza que se enquadra perfeitamente. Só bloqueios mentais mesquinhos é que usam o pudor como argumento, e está mais que claro que quando se passa para discussões a sério, e não a brincar aos doutores camafeus, esses pruridos desaparecem imediatamente.

      Aliás, também me pareceu muito fora do âmbito deste blog colocar aqui um vídeo da Blondie... mas depois quando vi que o título do álbum era "Parallel Lines"... como poderia afinal resistir?
      Quando há uns tempos lhe perguntei se havia algum registo antigo com tecnologia que ultrapassasse a presente, pois creio que este exemplo se aproxima muito disso.
      O José Manuel sugere ainda mais que isso... não sei - também pode tratar-se de um problema de realidades "paralelas" por inspiração.
      Ou seja, voltando atrás, à questão das especiarias, não é de descurar que as "cápsulas do tempo" fossem mesmo isso - cápsulas de ingerir, que sugerissem paralelamente realidades passadas ou futuras. Daí aquela mania que a Maria da Fonte referiu - a de usar "pó de múmia" ou até "asfalto":
      http://en.wikipedia.org/wiki/Mummia
      http://en.wikipedia.org/wiki/Asphalt

      No entanto, e aqui é que bate o ponto... uma coisa é partir para outras realidades, outra coisa diferente é trazer outras realidades para aqui. Se essas civilizações desapareceram, então houve razão intrínseca e não será boa ideia contaminar a que ainda não desapareceu com as mesmas maleitas, por muito apelativos e hi-tech que sejam esses convites.

      Quanto aos "camafeus", para além da sua razão de nome na arte, também desconheço qual a origem do aspecto pejorativo, tratando-se de belas peças... talvez se tenha considerado que as figuras representadas tinham um ar austero e sinistro, ou talvez remeta para questão de haver nessas pessoas "duas camadas diferentes", denotando alguma falsidade... não sei.

      De qualquer forma, obrigado.


      Eliminar
  3. Para o Paulo ler:

    O Cubo do Dr. Gurlt
    “Aqueles que conhecem bem o célebre Museu Smithsonian nos Estados Unidos afirmam que seus
    porões estão repletos de objectos estranhos que ninguém estuda.”
    “Há outras formas de se registar informações além do registo magnético.
    E, embora não sejam actualmente comercializadas, são , entretanto, estudadas.
    Especialmente os registos em cristais.
    A sociedade americana Carson Laboratories de Bristol ( Conecticut, EUA ) foi bem sucedida ao tentar
    reduzir, por fotografia, oitenta e cinco mil vezes a imagem de uma pagina de revista , colocar esta
    imagem num cristal e, depois , recupera-la . Outros pesquisadores tentam realizar, nos cristais,
    registos por camadas sucessíveis , como as paginas de um livro , superpostas.
    Fala-se ainda de obter o registo de cem mil livros de dimensão média em um cristal do tamanho de
    um grão de açúcar. Não é totalmente excluída a hipótese de que certas pedras preciosas contenham
    registos destinados , um dia, a serem recuperados , sendo submetidas desde já muitas vezes à
    informação retrieval ( recuperação total de informação ). http://www.geocities.ws/rsmaike/Drgurlt.html

    Extraído do livro Os Extraterrestres na História de Jacques Bergier - Editora Hemus - 1970

    Boas leituras, cumprimentos, José Manuel CH-GE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Da Maia

      Gostei! Gostei muito de lêr o texto.
      Adorei as Taças e os Camafeus. As Taças são deslumbrantes! E desta cancão da Blondie, sempre gostei muito. E acho que fez muito bem, em a incluir.

      Do mesmo modo, gostei muito do Comentário do José Manuel, que deu origem a este texto do Da Maia.
      E é exactamente isso que quero comentar.

      Se bem se lembram, nas Tábuas Sumérias, está escrito que o Ouro era dos Deuses.
      Por algum motivo, os ditos Deuses reservavam o Ouro para seu uso.

      Não que fossem Deuses. Deuses não necessitam de Ouro.
      Já o Elixir da Longa Vida, sim, uma vez que o ouro pode ser usado em Nanotecnologia, no "fabrico de orgãos,que venham a substituir os danificados.

      Elixir da Longa Vida,... Ouro dos Alquimistas.... A Pedra Filosofal, com que fabricariam o Elixir da Longa Vida.
      Que lhes permitiriam viver, meio homens, meio máquinas, quase indefinidamente.

      Segredos de um Passado Remoto, que o Poder Político teima em ocultar.
      Microcristais codificados e informatizados?
      Não para as Gerações Futuras, mas apenas, para CERTAS gerações futuras. Os chamados filhos dos Deuses.

      Os outros seriam Homúnculos. Escravos, pré fabricados.

      Não posso de modo algum, concluir que esses microcristais informatizados, existam desde Tempos remotos, mas quase juraria que sim.

      Taça Licugo: Família Bauer /Rothschild. De origem obscura. Hoje mundialmente Poderosa

      Taça Farnese.: Familia Farnese, Família de Papas, que também descende do Rei D. Manuel I, de Portugal. Hoje Dinastia Carlista de Bourbon-Parma, no exílio.

      Taça Ptolomaica: Família de Alexandre Magno.
      Hoje oculta, depois da morte de Cleopatra VII, e do exílio do pequeno Ptolomeu XV.

      De algum modo os conhecimentos tecnológicos, da ou das Civilizações, que no Passado, viveram na Terra
      têm sido recuperados.

      Além da Taça Licurgo, que mais terá chegado ás mãos dos Bauer/Rothschild?
      Muito! Diria eu....

      Abraço

      Maria da Fonte

      Eliminar
    2. Caro José Manuel, deixe-me acrescentar outra ideia...
      Lembra-se da ameba com a maior cadeia de DNA?
      A Polychaos Dubium:
      http://odemaia.blogspot.pt/2013/10/heranca-genetica-o-reino-das-amebas.html
      ... que até coleccionava cristais e tudo.

      Esquecendo os cristais, só tendo em conta o registo DNA, sendo 200 vezes superior ao humano, estamos a falar à volta de 400 Gb. Isso dá para armazenar um filme de muitas horas com a história mais relevante de civilizações passadas, e informações tecnológicas adicionais.

      Que tal considerar que por engenharia genética seria possível incorporar uma maioria de informação redundante para as funções da ameba, mas relevante como depósito de informação.
      Vantagens?
      A ameba poderia reproduzir-se sem alterar a parte significativa do DNA que continha a informação crítica, espalhando-se por todo o mundo, sendo de difícil extinção completa.
      Repare que se colocasse a informação em cristais arriscaria a que desaparecesse, assim que lhes fosse deitada a mão.
      Com amebas, bactérias, ou até virús, a coisa pode ficar muito mais complicada.

      Pode ficar complicada mesmo do ponto de vista de controlo, por programação do DNA.
      Imagine só que a certa altura a programação estava feita da seguinte forma:
      - Se a percentagem de CO no ar ultrapassar um valor (indiciando um desenvolvimento técnico), então o virus/bactéria XPTO começa a reproduzir-se muito.
      Complicado não seria?

      Tudo isso é possível, e colocar-nos-ia no limite entre o que é natural e o que teria sido programado antes...
      Aliás, aqui até poderíamos seguir numa linha que a Maria da Fonte já sugeriu em tempos - a preservação de uma certa linhagem humana... por mero acaso imune ao virús XPTO.
      Portanto, para além da preservação de informação há até possibilidades de controlo diferido... despoletando pragas mediante certas condições.

      No entanto, o complicado será decidir se eventos dessa natureza são simples acidentes aleatórios... ou alienígenas.

      Abraços.

      Eliminar
    3. Cara Maria da Fonte,
      que outras peças teriam os Rothschild... pois foi também isso que pensei.
      Para acharem que poderiam prescindir desta pequena maravilha, que outras peças mais valiosas não lhes chegaram às mãos?
      A família Farnese escapou-me, é a vantagem de ter aqui a Maria da Fonte, para essas ligações. E quanto ao pequeno Cesarião, pois não sei...

      Há um aspecto que me esqueci de referir, mas que é importante.
      A propriedade do vidro ser translúcido por um lado, e opaco por outro, tinha uma aplicação imediata muito útil:
      - Melhor ainda do que os vidros fumados, uma sala com um vidro deste género passaria por ter uma escultura opaca vista de um lado, ao passo que do lado escuro veriam tudo o que se passava do outro lado. É claro que isso pode ser feito com simples buraquinhos na parede, nos olhos dos quadros, etc... mas um vidro destes daria outro estilo!

      A observação sobre o ouro é também importante pelas diversas aplicações, já que na maioria das vezes só pensamos no valor comercial, mas o ouro pode ser muito útil.
      Se chegava ao ponto de ligar ao elixir de longa vida... é pelo menos natural que essas ideias pairassem.
      Sobre a vontade de controlar a descendência de apenas uma linhagem - isso já referi no comentário anterior.

      Agora, para mim o mais surpreendente é que eu já tinha visto o Camafeu do Augusto, e provavelmente alguma das outras peças... e não liguei!
      De certa forma habituamo-nos a ver certas coisas como naturalmente associadas aos romanos... vemos que eram notáveis, bonitas, mas não questionamos o desenvolvimento técnico necessário para obter tais preciosidades. Neste caso foi preciso o José Manuel referir a Taça Licurgo para que eu prestasse a devida atenção ao resto.

      Abraços.

      Eliminar
  4. Re: “No entanto, o complicado será decidir se eventos dessa natureza são simples acidentes aleatórios... ou alienígenas”

    Não vi ainda bem ou vou ver melhor o artigo do Alvor das anémonas coleccionadoras de cristais, estou a escrever sem consultar sobre o que e escrevo, coisa que faço raramente, oportunamente responderei devidamente.
    SFF ESQUEÇA ET’S OU MELHOR, SFF NÃO PROCURE BODES EXPIATÓRIOS, FOMOS CONDICIONADOS PARA TAL, para mim nada existe ou aconteça acidentalmente, antes de conhecer a filosofia budista de cordel já o pensava, “então acredita [eu mesmo] que o destino marca a vida?” penso que sim que tudo é um recycling (a história repete-se infinitamente) mas podemos mudar o dito se despertarmos, não precisamos das flores que os egípcios andavam na mão para se drogarem (cada qual tem as suas próprias tulipas...), nem tão pouco doutras especiarias, sempre tive a impressão que os humanos deste planeta parecidos mas diferentes são todos extraterrestres que por aqui ficaram, penso que está para breve o fim dum destes recycling e quando os extremos se tocarem muita coisa será clara na mentes das pessoas, espero ser um dos que assistirão a tal mudança.
    Sobre o tal bisneto de rabinos que defende muito bem as origens egípcias de Moisés lamento ter proposto o tal YouTube, adormeci a escutar o tipo! O livro foi escrito pelo editor, doutra maneira certamente ninguém teria pachorra para o “ouvir”! Tenho em casa e é muito fácil e agradável de ler, tem muitas photos do museu do Cairo e explicações convincentes entre a epigrafia egípcia e hebraica, mas pouco ou nada adiantam a esclarecer o que se perdeu com a queda das tais civilizações.

    Cpts, abraços

    Boas leituras, cumprimentos, José Manuel CH-GE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O José Manuel já tinha visto e até comentado o texto das amebas.
      Quando falei em alienígenas, estava a falar genericamente em inteligências externas que nos condicionariam... alternativamente podiam ser vistos como deuses. Usei o termo derivado do "alien" se aplicar ao exterior, ao estranho.
      Curiosamente nos EUA, há os "space aliens"-ETs e os "illegal aliens"-mexicanos... e neste caso não há propriamente a ideia de que os mexicanos migrantes sejam os aliens que construíram as pirâmides... eh eh! ... acho eu (já não digo nada)!

      Sobre o determinismo, não tenho quaisquer dúvidas sobre isso. Tem toda a razão, há um destino traçado que condiciona tudo, mas aparece em diversos níveis.
      O problema é que usamos uma série de palavras agarradas a certos conceitos, e por vezes não é fácil ser claro sobre o assunto.
      A questão coloca-se desta forma - antes de qualquer inteligência ser gerada, houve um processo não inteligente que a gerou.
      Automaticamente, esse processo não-inteligente, digamos mecânico, automático, é ele que condiciona tudo e todos.
      Esse processo identifiquei-o, no texto Arquitecturas (5), como sendo a obrigatória geração infinita partindo do simples 0, 1, ou alternativamente conforme escrevi no Banho maria:
      http://alvor-silves.blogspot.com/2013/10/banho-maria.html
      ... sempre soube que tal processo simples existia, o meu espanto foi verificar a complexidade que saía dele, conforme mostrei no boneco com o caminho vermelho que está no Arquitecturas (5).

      Esse processo nunca está terminado, mas por outro lado, nunca pode ser alterado. Como diz o povo, é o destino...
      O que distingue esse processo de outro qualquer é isso mesmo - o destino - o fim, ou melhor, o não ter fim.
      Este não ter fim não se aplica ao processo, mas sim à nossa percepção dele...

      Por isso, certamente que não falava em bodes expiatórios, em termos de culpas, mas sim em termos de cuidados.
      Ou seja, eu posso saber que o leão não tem culpa de me querer papar, mas isso não faz dele um ser carinhoso... e portanto, não devemos ignorar os devidos cuidados.
      Esses cuidados são de alguma forma acautelados pela nossa intuição - algo que não sabemos explicar, mas que nos condiciona... é nessa parte que entra a ilusão do livre arbítrio. O pensamento que se associa à acção é apenas uma forma de encontrar consistência... quando não há consistência tão racional, arranjamos estas palavras que nos remetem para o caos de possibilidades, já que escolhemos uma possibilidade e não outra por mera intuição.

      Quanto ao recycling, tenho que ver se faço um post no Odemaia, que tenho andado a adiar... mas na minha opinião, há um confronto inevitável, só que não é global, é pessoal. O ajustamento é feito observador a observador, e quem acorda fica, quem não acorda, segue para mais uma volta, até que todos acordem no mesmo sítio. Caso contrário, sem acordo, não podemos acordar todos no mesmo plano. Quem quiser continuar a sonhar que vale mais que o outro, pois mais dificilmente vai acordar...

      Abraços.

      Eliminar
  5. Boa noite!

    Fui eu que encontrei e coloquei os 2 link´s da espada de damascos e o azul Maia. Tenho receio de colocar mais link´s porque sou mal compreendido. Sobre os Deuses...se esses sumerios que hoje em dia dominam o mundo são os adoradores dos Anunnaki.Só alguns é que tem esse contacto directo com eles. Como eu tinha dito sobre as Maçonarias,elas são o braço deles(marionetas). Devem haver 2 fracçoes,uma que vive no interior da terra e outra fora dela. Os que cá vivem foram banidos e são os Deuses de cá. Bastaria tirarem a Lua para o nosso mundo entrar em clapso. Desisto de partilhar a ideia e fico com ela bem arrumada...estarei sempre de mente aberta para tudo que não seja desta terrinha.

    Desisto, só quis passar a ideia e a idiotice de alguém pode ser real no futuro.

    Boa sorte para o blog....

    (Sempre achei-vos como da minha familia ao longo destes meses)

    Até qualquer dia,obrigado por tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Paulo!

      Mas que ideia maluca é essa de se ir embora?!
      Logo agora, que eu andava a pensar em voltar à descendência de Cleópatra e Júlio César....E tentar perceber porque cargas de água teriam chamado, Manu, à Criança...

      Se estaria relacionado com o Manu Atlante, o Light Side Of The Force....

      Não se esqueça que os Sumérios, que conhecemos, surgem posteriomente aos Atlantes.
      E que as Civilizações da Suméria, Babilónia e Vale do Indo, foram a mesma Civilização, e não três Civilizações distintas.

      E que na Terra, tal como no Universo, havia e há, o Light Side, ou apenas Force, e o Dark Side.

      Pense nisso, porque se desiste, enfraqece a Força, e o Dark Side, ganha mais poder.

      Abraço

      Maria da Fonte

      Eliminar
    2. Primeira gravura rupestre de um faraó em estudo

      http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=57332&op=all

      http://www.cienciahoje.pt/55

      Eliminar
    3. Obrigado por ter indicado os dois links, Paulo.
      Aqui interessa o que é escrito e não tanto quem o escreve.
      Uma coisa é tratar-mo-nos cordialmente, algo sempre desejável, outra coisa é misturar simpatia com a pessoa e simpatia com a informação.
      A simpatia com a pessoa devemos procurar mantê-la.
      A simpatia com a informação diz apenas respeito à informação e nada mais.

      A pessoa serve apenas como veículo transmissor da informação, não se deve identificar a ela.
      À pessoa eu agradeço a partilha de opinião ou a transmissão de informação, mesmo que não concorde com ela.
      Sobre a informação ou a consistência numa sequência de informações, aí procuro ser o mais crítico possível.
      Porquê? Porque a informação per se, pretende valer mais do que a própria pessoa, e portanto deve ser tratada com essa abstracção.

      Abraços.

      Eliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como é óbvio, este link sairá daqui.
      Nada tem a ver com o tema.
      Nem com este nem com nenhum... é mero sensacionalismo barato.

      Eliminar
    2. Olá “Paulo”,

      Permita-me que lhe sugira aqui um bom exemplo como abordar discussão sobre ÓVNIS (07-03-2011):
      http://www.geneall.net/P/forum_msg.php?id=272154&fview=e#topo
      Já conhecia a notícia antes do comendador sugerir no geneall forum (ele foi condecorado, em 2004, pelo Presidente da República, Dr Jorge Sampaio, com a comenda de Grão-oficial da Ordem do Infante D. Henrique - Alvará de 5.5.2004) se desejar ler a minha resposta ao “chartri” verá o que penso sobre o tema.
      Nas dunas da Praia da Saúde foi um dos dois do meu grupo que não observou totalmente um OVNI (estava ocupado a montar uma tenda) foi no período em que outro ou o mesmo disco voador colorido foi certificado pelo radar do aeroporto da Portela (anos 70) fiquei muitos anos amargurado de somente ter visto um clarão branco se apagar por cima do acampamento, os outros viram vir o fenómeno do Atlântico a mudar de cores, a pessoa que deu o alerta com um estridente “o quê aquilo?” era ignorante na matéria e iletrada, não foi alucinação colectiva, quem conhecia bem o assunto era eu assinante da primeira revista em Portugal sobre os UFO, e só o divulguei ao grupo depois, permita-me de lhe dizer que aparentemente sei mais do assunto que o Paulo, mas no fundo que sei eu realmente? NADA de concreto, somente sei ver onde há mentira e manipulação, coisa que o Paulo não quer fazer... ninguém aqui no Alvor/Da Maia na minha opinião descobriu nada de novo sobre nenhum tema, somente se debruçam sobre como compreender explicar aquilo que desconhecem na integralidade, ninguém procura aparentemente tirar protagonismo, somente discutir ideias, que tenham pernas e cabeça para andar, recomendo mais uma vez ao “Paulo” de abrir o seu próprio Blogue para divulgar as suas ideias e links, pois o que anda aqui a fazer é... o que provavelmente o que já fez anteriormente sobre outros pseudónimos... esta última de Calimero ET fica-lhe mal...
      Se me engano na análise da sua personagem do blogger Paulo é culpa da quasi integralidade dos Rocamboles que li antes de ver UFOS nos anos 70, parei a meio pois já enjoava, mas deu para aprender a saber como se manipula incautos... boa escola francesa a das luzes, ilusionismo.

      Bons ilusionismos, cumprimentos, José Manuel CH-GE

      P. S.
      Como sabe provavelmente tudo isto que tenho vindo a divulgar já foi tratado nos livros da collection “Les énigmes de l’univers” da Rober Laffont... anteriormente por outros... aqueles que escaparam às fogueiras onde se queimaram muitas bruxas... herdeiros de druidas e outros tais...

      Eliminar
    3. Boa noite!


      Obrigado pelos comentario,passei de bestial a besta...Como voçê é entendido em muitas máterias gostava que me explicasse quando eu andava naquela seita religiosa,niguém fumava ervas,que tanto se alega por aqui,o homem que presidia naquele dia sabia o que pensava e o meu futuro?Tive uma situação que houve uma certa pessoa que me prejudicou e foi dito que essa pessoa,ao pormenor,viria ter comigo pedir-me desculpa....foram 4 anos e isso concretizou-se e não foi só isso que tenho para contar há mais coisas. Eu sei que só me conhecem daqui e não compreendem o que aconteceu ao longo da minha vida,acreditem se quiserem no que aqui digo. Eu sei que há algo que sabe da vida de todos como o BigBrother...qual a resposta para isso?Mundos paralelos,anjos protectores,mundos 3D,etc,etc... Esse Deus ou Deuses que aparecem e deixem de joguinhos aos imortais e mortais. Malditos sejam os Deuses e Deus que vão para o meu inferno que é todos os dias,malditos sejam eles.

      Um abraço

      Eliminar
    4. Caro Paulo,
      sem pretender ser rigoroso, venho apenas lembrá-lo de algumas das facetas que já aqui escreveu:
      - escreveu que tinham sido avistadas estruturas nas viagens à Lua, depois que a viagem à Lua era falsa, depois de novo que havia aliens na Lua, e que era uma nave espacial.
      - escreveu que tinha tido uma experiência ET, colocou fotos e tudo, disse que estava em contacto com uma organização de avistamentos; não voltou a mencionar o episódio, presumo que tenha saído da sua agenda.
      - quase ao mesmo tempo escreveu que estava em contacto com uma organização cristã, diferente, e falava de certa forma em milagres, e de algum predestinamento - algo que continua aqui neste último comentário.
      - escreveu a favor da teoria que os ETs passavam por deuses, falou da Matrix - essa não percebi se coordenada por ETs ou não, falou de deuses, falou de Deus, e tudo isso aparecia com igual importância.
      - escreveu um relambório sobre teoria da relatividade, gravitação, e mais não sei quê, em 3 comentários no Odemaia, meio sério, meio amalucado... a que respondi, sem nunca me ter dito depois sequer "agua vai"... foi simpático, se é ser simpático agradecer aqui "en passant", quando demorei algumas horas a ler e responder.
      - escreveu em inglês, fazendo-se passar por outro, e colocou aqui a teoria da Terra sem Lua, com um texto meio desconexado, mas que depois até acabou por se revelar interessante.
      - colocou aqui uma quantidade imensa de links... os malfadados de ovnis, mas também uma quantidade de outros, uns mais pertinentes que outros, alguns dos quais muito interessantes, e que agradeci.
      - interessou-se pelos deuses ETs, mas de um momento para o outro, apareceu erudito sobre a teoria de que os hebreus eram egípcios, e afinal os ETs já não interessavam, mas voltaram a interessar, mas depois descobriu que Baal e Jeová podiam ser o mesmo.

      Eliminar
    5. Em resumo, caro Paulo, para quem vê de fora, e certamente que não sabemos quem é, ou o Paulo tem várias personalidades instáveis, ou há várias personalidades a usar um mesmo nome.
      Essa possibilidade já foi aqui sugerida várias vezes, e o José Manuel voltou a fazê-lo.
      Não se trata de ser besta ou bestial, trata-se de análise objectiva da informação, dando o necessário benefício da dúvida de ser mesmo apenas uma pessoa com problemas.

      Em condições normais, ninguém lhe daria troco, ninguém lhe responderia, porque ninguém tem tanta paciência.
      No entanto, aqui foi diferente porque de alguma forma as pessoas que aqui estão sabem bem o que é não ser compreendido, e não querem fazer consigo o mesmo. Porém, corremos o risco de estar a tratar com um bando de adolescentes - ou de mentalidade adolescente - que acharam piada inventar um personagem, ou simplesmente fazem testes com personagens. Por exemplo, ao estilo do Matrix de que tanto gosta, pode dar jeito perceber a reacção a diversos estímulos... ao jeito experimental.

      No que me diz respeito, isso é absolutamente indiferente. Como já disse, aqui tratamos de informação e não das pessoas que a trazem. Para mim é indiferente que sejam anónimos, que sejam vários num só nome, ou que seja um com nomes diferentes. Conforme reparou neste post, coloquei a informação que era anónima, disse-me que tinha vindo de si, já coloquei lá o seu nome, entre parentesis.
      Na realidade não faço a mais pálida ideia se este blog tem acesso condicionado ou não. O contador andou durante anos a manter-se à volta das 80-100 visitas diárias, mesmo quando não escrevi aqui nada durante 6 meses. Agora tem passado para 200, mas também já aconteceu, quando fiz mais divulgação e coloquei links externos, diminuir drasticamente para 30 visitas diárias. Às vezes, estranhamente, as coisas funcionam ao contrário...

      Portanto, caro Paulo, aqui o que interessa é a informação.
      Continuarei a agradecer a interessante, a ignorar a redundante, e a censurar a despropositada.
      Nada tem a ver consigo, tem a ver com o propósito que aqui nos traz.

      Não peça nada aos outros, aceite o que eles têm para lhe dar, e isto apenas se achar que lhe é útil.
      Não peça que o compreendam, tente fazer-se compreender.

      Cumprimentos.

      Eliminar
    6. Boa tarde!

      Diga-me,por favor,porque que ia andar-me a matar durante várias semanas por aqui?. Eu desisti de várias coisas que aqui coloquei e não consegui provar o contrario.Vejo que houve uma que consegui provar,a Lua...que não estava cá há 12.500 e voçê ignorou-me e insesti e consegui encontrar materia para isso. Provei que o que tinha originado o grande cataclismo tinha sido a Lua que passou-lhe ao lado e passa ao lado de muitos. Por favor não me culpe por colocar alguns comentarios anonimos,sou o culpado de tudo?Coloquei ultimamente alguns em anonimo porque já reparei há muito que me olham de lado...o que acontece com a maioria dos Portugueses que é o bota abaixo para aquilo que não faz sentido. Voçê já pensou que ir por a teoria que mencionou,sobre as drogas,o que foi encontrado em gravuras rupestres de dinossauros seriam os nossos antepassados a fumar ervas e verem outros seres com ajuda das ervas?Como acontece a sua visão de imagens rupestres de seres alienigenas e naves que por todo o mundo são encontradas...eu nunca fui contra a sua visão de dinossauros que sobreviveram. No que toca a falar da seita religiosa...eu sei que para si nada faz sentido do que falei porque nem voçê e os demais bateram na parede com uma situação sem resulosão possivel...e tanto os meus familiares e eu viramo-nos para algo que conhece o nosso andar e o nosso futuro e o milagre aconteceu. Espero que nunca lhe bata a porta nada disso,o mal que quero para mim é o mesmo que quero para os restantes. Eu fui buscar o exemplo da religião para tentar explicar algo que não consigo explicar e só vejo 2 caminhos...

      1-Há mesmo algo que existe que é inexplicavel
      2-Há de facto seres que nós dominam com tecnologia inexplicavel(ultra-tecnologia)

      Já me esquecia...voçê também fazia um olhar de lado a que a antiga civilização era muito mais avançada que a actual e começam aparecer algumas coisas que passaram o tempo....como o que esta mais acima. Acha que se alguém quisesse dominar-nos deixaria passar aquela barreira tecnologia para lhes fazer afronta? Claro que não,tentaria estagnar-nos para que não evoluisemos para o que aconteceu no passado não volte acontecer novamente. Se alguém nos controla-se elegiria alguem ou criaria um metodo para nos controlarem,como acontece atualmente quando um país quer controlar outro. Enfim só quis passar a minha ideia das coisas e fui mal entendido. Como a Maria da Fonte disse só estamos cá para partilhar ideias...Sempre paguei bem caro pela minha boa vontade em querer ajudar com um pequeno contributo.


      Abraço.

      Eliminar
    7. Já me esquecia.

      Eu não quero protagonismo,não sou vaidoso,e o meu intuito é ajudar em algo que acredito...andam nos a esconder a verdade! É só isso que pretendo neste local.

      Obrigado.

      Eliminar
  7. Olá!


    Muito obrigado,Maria da Fonte...por tudo que disse e aos demais!


    Um abraço.

    ResponderEliminar
  8. Caro Paulo

    Não sou Psicóloga!
    É Ciência à qual não dou grande crédito.
    Portanto, tanto me faz que o Paulo seja Um ou sejam Dez.

    O que mais há por aí, são Sites, alguns com pretenções elitistas onde o Um, se desdobra em Meia Dúzia.
    O que me é, completamente indiferente. Porque como diz o Da Maia, e nisto concordo com ele, o que interessa é a discussão das ideias.

    Aliás, se eu fosse levar em conta as dezenas de aldrabices que os vários Heterónimos com quem tenho trocado opiniões, me dizem sobre si próprios, não escrevia nem uma linha.

    Como as questão da identidade não me interessam, envio-lhe esta sugestão, que até talvez já conheça:

    "Rei Salomão - O Evangelho segundo os Egípcios". DOMAIN OF MAN. www.domainofman.com (em inglês e espanhol).

    Abraço

    Maria da Fonte

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá...


      Já conhecia esse local e envio-lhe este que foi de lá que copiei e coloquei por cá.


      http://www.thescrollsandthesect.com/hyksos/hyksos.htm


      Bom fim de semana!

      Eliminar
  9. Olá Paulo

    Não sei porque o Paulo se tem morto a tentar deslindar o Passado.
    Sei que eu já tentei muitas vezes esquecer tudo isso, e não consigo.
    Talvez faça parte da natureza de alguns de nós, tentar sempre compreender o que é aparentemente incompreensível.
    Sobre essa questão da Lua Recente, confesso que não prestei atenção, porque andava por outros caminhos.
    Mas o que disse agora, interessa-me muito.
    A chegada da Lua, foi responsável pelo cataclismo de há 12 5000 anos?
    Como assim?
    Não se importa de me explicar isso?

    Abraço

    Maria da Fonte

    ResponderEliminar
  10. Boa tarde!


    Claro que tenho procurado tudo para encontrar o ínicio de tudo,Maria da Fonte. Andei em todos os sitios na net,inimagináveis ,para encontrar o que tinha dado origem ao cataclismo mal descrito na Biblia,sempre achei que o que lá estava escrito não me levava a lado algum. Sempre pensei que tinha havido um diluvio na area que a Biblia narra,porque aquele local era o centro dos povos que por lá andavam. Tinha informação que o que houve foi mesmo global,anulando que só teria sido naquela aréa do planeta. Soube que era narrado esse acontecimento catastrofico por vários povos em diferentes locais do globo,até que um dia encontrei este local através de umas piramides nos Açores e em seguida pelos Oopart´s(objectos fora do tempo ou não encaixam...). Depois de ver tantos videos(gosto muito de ver decumentários de todo género) encontrei um que mostrava um antigo equador,que acabei por colocar o link video, pôs-me a pensar. Continuei a procurar e encontrei,já tinha ouvido que tinham sido encontrados mamutes congelados na Siberia,os mamutes e encontrei vários link´s...

    http://www.curaeascensao.com.br/gaiaterra_arquivos/gaiaterra56.html
    http://ramanavimana.blogspot.pt/2013/01/o-mamute-de-berezovka-que-desafia.html

    Que mencionava que "um grande asteroide ou outro corpo celeste" teria interferido com o eixo da Terra...Tinha a noção dos Sumerios dos seus Deuses e de Nibiru,que até hoje nunca foi encontrado(é a Lua). Através desta ordem de ideias procurei passa-las para aqui através de varios comentarios... procurei diversos locais e comecei a encontrar-los. Haviam muitos povos que eram pre-lunares ou falavam que haviam povos antes da lua,por isso a Lua não estava cá a muito tempo. Encontrei em Tiahuanaco referencias inscritas nas rochas,não consegui encontrar uma gravura com a descrição da Lua a reentrar em orbita e se não estou em erro está em uma gruta. A Lua originou uma inclinação de quase 30 graus e deve ter originado ao despertar de varios vulcões derretendo os polos dando origem a 2 mega tsunamis que varreram o globo(200 a 300 metros de altura)...na America do Norte ficou a marca gravada no chão do degelo(Grand Canyon). Se as pessoas viviam,cerca de 150 metros mais abaixo da actual linha costeira, foi um assassinato em massa. Não sei se sabe que o dia dos mortos"Halloween"(http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_dos_Mortos) dá~se em memória dessa grande trajedia. A Lua é artificial...

    https://www.youtube.com/watch?v=Mq0ymeYcjK0&list=HL1385752368
    http://www.bibliotecapleyades.net/luna/esp_luna_19.htm

    Peço desculpa de algo...

    ResponderEliminar
  11. Esqueci-me...

    Antes desta Lua havia uma mais pequena e o clima não era tão inóspito, era mais linear...Um ano tinha 290 dias!

    Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Paulo

      Compreendo. Faz todo o sentido.
      Contei até 100, antes de começar a vêr os seus links, porque confesso que fiquei abalada.
      Eu nunca tinha pensado nesta hipótese.

      Temos procurado, Crateras de Meteoritos, Vulcões extintos, Deslocamento dos Pólos. Inversão da Polaridade, eu sei lá que mais, para justificar o Dilúvio que submergiu a Atlântida....da Lua, ninguém se tem lembrado.
      Talvez porque como a vemos, intuimos que sempre esteve aqui.

      Eu tenho andado ás voltas com os Yuezhi, nem sei bem porquê.
      Supóe-se que Yuezhi queira dizer Clan da Lua.
      No entanto, as Múmias trazem estranhas tatuagens:
      do Sol, da Espiral, figuras compostas, mas não da Lua.
      O que é estranho, num Clan com esse nome.

      A sensação com que fico, quando leio as Genealogias desde Nilo, O Antediluviano, é de uma imensa desolação.
      Como se os que sobreviveram na Europa,, tivessem caminhado penosamente, ao longo de anos por um trilho, a que se chamou milénios depois, A Rota Arya.

      Os próprios nomes dos Reis, são o reflexo dessa desolação: Yima Vivanghvant, Rei dos Vivos.
      Rei dos Vivos.... Um Título que nos faz pensar, que a maioria está morta.

      Foram apenas 16, as Terras, que os Reis dos Vivos governaram.
      Dessas 16, só 9, estão identificadas, e compreendem a Região que engloba os Balcans, a Geórgia, o Punjab e a Pérsia.

      Talvez, um segundo grupo, tivesse seguido outro Trilho.

      Heródoto e Theopompo, escrevera ambos, sobre a Atlântida que:

      "Nesse Tempo o Sol nascia, onde hoje se põe."

      Tem razão!
      Tantos desenhos, tantas pinturas rupestres, tantos petroglifos....
      E nunca se vê a Lua!

      Boa noite

      Maria da Fonte

      Eliminar
    2. Já me esquecia:

      Em sânscrito, Lua escreve-se: Soma.
      Pelo que o Ritual do Sacramento do Soma, instituído por Yima Vivanghvant II, pode não ter nada a vêr com as Drogas, mas sim com o Luar.

      Abraço

      Maria da Fonte

      Eliminar
    3. A Maria da Fonte só viu agora, mas esta série "dos Comentários" começa justamente com essa hipótese que o Paulo aqui trouxe:
      http://alvor-silves.blogspot.pt/2014/02/dos-comentarios-1-lua-recente.html

      ... e pelos vistos é uma hipótese que tem sido considerada ao longo dos séculos, mas de alguma forma silenciada.

      É uma teoria que gostei especialmente, porque daria uma explicação alternativa ao dilúvio, mas não é muito diferente de ter um impacto de um ou mais meteoros no oceano, que deslocariam uma massa de água com um tsunami.

      A favor dessa ausência de Lua, um dos pontos importantes é a ausência de representação nas pinturas rupestres, mas nesse caso devemos ainda considerar que também não há propriamente imagens de Sol. Haverá imagens raiadas que parecem mais de estrelas.
      E há um conjunto Sol-Suastica-Lua, em pinturas tibetanas:
      http://www.tibetarchaeology.com/september-2010/

      Mas, como não somos os únicos aqui a ser especulativos, a arqueologia oficial também aparece com interpretações mirabolantes, onde vê a Lua em Lascaux:
      http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/975360.stm
      (o detalhe que está sempre na mesma fase de Lua cheia, parece não ter incomodado a teoria das bolinhas).

      Agora, não há que ser cego e esquecer de ver problemas na teoria da Lua recente... um deles é que há animais adaptados à vida nas marés, e isso significa que se adaptaram desde que a Lua está presente... é possível terem-se adaptado numa questão de poucos milénios, e isso bate certo com o registo fóssil?

      Para além disso, o que foi visto nas camadas de corais é que um ano pode ter tido mais de 400 dias, não vi nada indicando o oposto.

      Acresce a tudo isto, que a análise das supostas rochas lunares relativamente à presença de tungsténio, tende a mostrar que a Lua seria mais antiga do que a Terra:
      http://www.abc.net.au/science/news/stories/s1531577.htm

      ... o que no fundo só mostra que reina uma grande confusão entre dados, uns mais fidedignos que outros, e certamente que a ideia do Paulo de ter a Lua como uma imensa nave espacial... apesar de ter origem sabe-se lá em quem, e encontrar adeptos espalhados pela internet, é certamente algo que não tem ponta por onde se lhe pegue.

      Eliminar
    4. A observação de que o nome Soma se liga à Lua é bastante pertinente, mas note-se que o nome habitual para Lua no sanscrito é Chandra e não Soma.
      No entanto, é verdade que Soma aparece ligado à Lua e às plantas, levando a uma ligação de divindade lunar à divindade das plantas... e isso só dá mais razão à expressão "cabeça na Lua".

      Eliminar
    5. Boa tarde!

      Sobre a Lua só digo que sempre achei-a sinistra e não é por acaso que há tantas historias de Lobisomens,vampiros,etc,etc que tem por base a lua(maldições). Ficaram gravadas nos nossos genes esse grande cataclismo que até hoje causa-me arrepios só de olhar para ela. Deixo mais alguns link´s de Tiahuanaco


      http://www.tiahuanacocalendar.com/overview.html
      http://www.atlantisbolivia.org/tiwanakucalendar.htm

      http://www.atlantisbolivia.org/tiwanaku.htm
      http://loganhawkes.com/blog/home-page/the-mysteries-of-ancient-tiahuanaco/

      http://eden-saga.com/en/cyclopean-architecture-sound-music-of-spheres-vril-energy-lightning-trap-pyramid-akapana.html

      Deixei esse link para mostrar coisas vistas ao longo de seculos e voçê levou a coisa para outro lado. Para mim terminou a historia de homenzinhos verdes,nunca mais falo disso.


      Boa sorte para todos!

      Eliminar
    6. Não! Caro Da Maia.

      Soma aparece ligado à Lua com outro significado.
      Eu sei que Lua e sâncrito se diz Chandra.
      Soma é usado no sentido de Energia. Captação de Energia.

      Que energia?
      Se aquilo é um Pedregulho seco, que energia seria essa?

      Abraço

      Maria da Fonte

      Eliminar
    7. Pois é! Caro Da Maia

      Os Anos tinham mais de 400 dias. Se calhar, bastante mais...
      Por isso, todos aqueles Patriarcas, morriam tetravôs, com cento e muitos anos.
      Essa, seria uma das alterações, que ocorreriam, se ficássemos sem Lua.

      Pelo que, os dados, se conjugam a favor do Paulo.

      Bavatsky diz que os misteriosos Pelasgos, os primeiros colonizadores de Samotrácia, vieram do Oriente.
      Platão, afirma que eram Atlantes, portanto do Ocidente.
      Homero, localiza-os em Creta, em tempos imemoriais.
      Referir-se-ía possivelmente aos Minóicos, que pintaram nos seus frescos, cenas de Touradas, únicas no Mundo. uma Tradição Atlante, que ainda hoje, persiste em Portugal
      Ásio, o Genealogista, afirma que Pelasgo foi o primeiro Homem literalmente nascido da Terra, para criar uma raça de homens.
      Heródoto e Théopompo referem que no tempo da Atlântida, o Sol nascia, onde hoje se põe.
      Todos são unânimes em afirmar, que os Pelasgos, não falavam Grego, mas sim uma Língua desconhecida.

      A Arcadia está datada de cerca de 48 000 a.C., segundo Curtis N. Runnels (Scientific American, Março de 1995).
      O Povo da Arcádia é o Povo de Arkos, filho de Zeus e Kallisto (Ursa Maior), que hoje se chama Ursa Menor, a da Estrela Polar, que nesse tempo era Vega.de Lira.

      Aos Arcadianos e Pelasgos, referiam-se os poetas gregos, da antiguidade, como sendo mais velhos que a Lua.
      O Filósofo Vulcanus, que segundo Diógene de Laertius, citando Fontes Egípcias da Biblioteca de Alexandria, foi o Fundador da Filosofia, terá nascido há mais de 50 000 anos em Idjil, na Mauritânia, perto do Domo de Richat, numa época em que um braço do Nilo desaguava no Atlântico.

      Se pensarmos que a catástrofe teve que ser imensa e global, a ponto de submergir Continentes, alterar os leitos dos Rios, na África e na América do Norte, e mudar o eixo da Terra, ou inverter o seu movimento, de Rotação e aumentar a sua velocidade, não parece viável, que a simples queda de um meteorito, pudesse provocar alterações desta magnitude.

      Já a chegada de um Satélite da dimensão da Lua, a uma tão grande proximidade da Terra, poderia sim, explicá-las. Sobretudo se se tratasse de um Satélite que emitisse alguma forma de Energia.

      Mas o que é a Lua?
      Planeta sem Movimento de Rotação.
      Inóspito. Árido, sem Atmosfera....Onde as ondas de Choque vibram prolongadamente, segundo a NASA.
      Mas afinal repleto de "ÁGUA CONGELADA NO PÓLO SUL, PERSERVADA DA LUZ SOLAR", segundo as mais recentes declarações da NASA!

      Um "Satélite", que emitia uma forma de Energia, captável pelo Ritual do Soma, segundo os sobreviventes da Atlântida.

      Lamento! Caro Da Maia, mas começo a achar, aquela coisa, seja lá o que for, sinistra, como diz o Paulo.

      Abraço

      Maria da Fonte

      Eliminar
    8. Duas correcções:

      1ª De ortografia.
      Deve lêr-se ....Blavatsky.

      2ª De raciocínio.
      Os 400 dias do ano, deverão corresponder a uma época muito mais remota, em que a Terra se moveria mais devagar.
      Préviamente à chegada da actual Lua, a Terra movia-se mais rápidamente, daí o ano ter menos dias no Calendário de Tiahunaco, 290 dias, e os Patriarcas da Biblia, serem tetravôs.
      Se fossem os 400 dias como eu escrevi, os ditos Patriarcas teriam partido bem mais cedo

      Abraço

      Maria da Fonte

      P.S. Achei muito bom o Artigo: "Tiahuanaco and the Deluge", sugerido pelo Paulo.
      Bem fundamentado e muito esclarecedor.

      Eliminar
  12. Coisas vistas ao longo de seculos na Lua...são anjos que por lá andam (hehehe)!

    https://www.youtube.com/watch?v=NDL0jDEelt4

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este vídeo será eliminado daqui.
      Se quiser pode colocar num sítio onde pode fazer algum sentido:
      http://odemaia.blogspot.pt/2011/05/moon-spots.html
      ... se é que desse vídeo se pode retirar alguma informação.

      Eliminar
  13. É assim, Paulo, eu não tenho interesse nenhum em discussões inúteis, mas convém que seja minimamente correcto.
    Você ignora o que lhe dizem, arma-se consecutivamente em vítima e como um criança birrenta, volta a insistir no que já lhe tinha sido censurado.

    Quando diz:
    Vejo que houve uma que consegui provar,a Lua...que não estava cá há 12.500 e voçê ignorou-me e insesti e consegui encontrar materia para isso. Provei que o que tinha originado o grande cataclismo tinha sido a Lua que passou-lhe ao lado e passa ao lado de muitos

    ... só mostra que está noutra realidade, e numa variação de humores bipolar. Agora passou à fase em que se acha bestial.
    Tudo bem, mas não distorça as coisas.
    Não foi provada coisíssima nenhuma.
    O facto de eu ter dado atenção à história da Lua recente, e na sequência das suas contribuições ter escrito um texto:
    http://alvor-silves.blogspot.com/2014/02/dos-comentarios-1-lua-recente.html

    ... mostra apenas que vi no assunto algum nexo.
    De poder ter algum nexo a estar provado, pode ir a mesma distância de jogar no totoloto e ganhá-lo de facto.

    Quanto a imagens inventadas sobre a Lua, podemos começar por estas:
    https://www.youtube.com/watch?v=BNLZntSdyKE

    ... o que não significa que não haja relatos antigos sobre pontos luminosos na superfície lunar:
    http://odemaia.blogspot.pt/2011/05/moon-spots.html

    Pela enésima vez insiste em colocar o mesmo tipo de vídeos sem qualquer credibilidade.
    Só pode estar a gozar, mesmo.

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde,novamente...

    Não sei o que se passou e acabei por não colocar isto:

    Oleiros renascentistas eram "nanotechnologists"
    Segredos químicos de ceramistas italianos do século 15

    http://www.nature.com/news/1998/030623/full/news030623-17.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Paulo.
      Ora aí está uma informação importante e bem sobre o assunto aqui abordado.
      Com o conhecimento correcto e a devida paciência um bom artesão sozinho pode ir muito longe, isso provava-o os trabalhos de ouro em filigrana, e pode ir mesmo ao ponto da mini-tecnologia, como é o caso deste reformado galego, José Manuel Hermo Barreiro, dito "Patelo", que construiu sozinho as mais pequenas miniaturas de grandes motores, e que funcionam mesmo:
      https://www.youtube.com/watch?v=c1pJIVqCC1E

      Eliminar